Resenha: Filha das Trevas - Kelly Keaton - Pieces of Alana Gabriela

8 de dez de 2016

Resenha: Filha das Trevas - Kelly Keaton

Créditos da Imagem: Resenhando Sonhos 
O que falar desse livro?
Helloo, folks... tudo numa nice?!
Começo a resenha de hoje com esse questionamento. Bem, eu confesso que o motivo principal de eu ter querido ler essa obra foi a capa diva. Esse ainda é o meu ponto fraco. Eu li a sinopse e apesar de ser um daqueles romances sobrenaturais fui dar uma olhada porque às vezes fico com vontade de ler esse tipo de gênero. E vou pontuar aqui algumas coisas que hoje me fizeram relembrar porque não leio muitos livros com essa temática sobrenatural (nunca li crepúsculo – até porque não gosto de livro de vampiros, mas assisto a série The Originals, nem Fallen, nem todos esse livrinhos da moda. Quer dizer, eu li Sussurro para saber como era e detestei. Levei uma eternidade para terminar.
   Mas vamos lá, falar de Filha das Trevas.
Título: Filha das Trevas: Deuses e Monstros # 1 | Autor: Kelly Keaton | Ano: 2016 
Páginas: 288 | Editora: Galera Record | Lido em: Novembro de 2016
Ari se sente perdida e solitária. Com olhos azul-esverdeados e cabelos prateados esquisitos, que não podem ser modificados nem destruídos, sempre chamou a atenção por onde passava. Depois de crescer em casas adotivas, tudo o que quer é descobrir de onde veio e quem ela é. Em sua busca por respostas, encontra uma mensagem escrita pela mãe morta há muito tempo: fuja. A garota percebe que precisa voltar para o local de seu nascimento, Nova 2 — a cidade luxuosa, que foi inteiramente remodelada —, em Nova Orleans. Lá, ela é aparentemente normal. Mas cada criatura que encontra, por mais mortal ou horrível que seja, sente medo dela. Ari não vai parar até desvendar os mistérios de sua existência. No entanto, algumas verdades são terríveis e assustadoras demais para serem reveladas.

Por precaução, todo livro que vou ler confiro no goodreads as recomendações. Não vi nada de mais quanto a essa obra, até porque é velha e foi publicada em 2011 por lá. E já digo de cara que a capa brasileira é um milhão de vezes melhor.
Sei que as minhas últimas resenhas foi uma leva de leituras ruins e essa não foi muito diferente, na verdade foi bem mediana, mas o que eu posso fazer, né? Vamos to the business.
    Ari, segundo as suas próprias palavras, é esquisita. Viveu por vários em anos em casas adotivas depois que sua mãe morreu num hospício. Quando mais velha, decidiu buscar a verdade sobre sua vida para tentar entender o motivo de ser tão estranha: cabelos incoerentes, olhos profundos de uma cor que não poderia existir e outras coisas que a Ari mesmo diz – eu procurei em todo o livro mais esquisitices que ela disse ter e não encontrei. Depois de receber uma mensagem que sua mãe morta deixou ela decidi ir para Nova 2 atrás de respostas.
"Eu não sou louca. Confie em mim. E por favor, meu bebê. Fuja logo.
Mamãe." 
   Confesso que ao ler a sinopse acreditei que a estória fosse completamente diferente do que eu encontrei. A estória é embebida em tanto clichê que eu nem sei o que dizer. É claro que  durante a leitura eu relevei – sério mesmo, não  lembro de ter relevado tanto numa só leitura – tudo o que estava lendo até porque faz parte desse gênero sobrenatural o insta love; os pais da(o) protagonista terem morrido e ela(e) procurar seu lugar no mundo; ou então ela(e) ser estranha(o) e não entende a si mesma(o) e busca um motivo porque é especial e diferente de todo mundo. Bem, é uma receita que a gente já conhece.
    O problema do livro é que ele até tem uma premissa legal que envolve mitologia grega – eu nunca ia saber disso previamente se não tivesse visto nos gringos porque não fala na sinopse – mas peca na maneira que a estória é dirigida. Primeiro, as relações são rápidas e superficiais demais. De um momento para outro a protagonista conhece uma guria e não demora nem algumas horas para ela já se preocupar com ela de uma maneira que ela nem mesmo entende? Tipo, vou protegê-la sempre. Vamos lá, né? Please. E tem um insta love terrível no início que prefiro nem comentar.
   O livro tem muita incoerência, eu sei que é ficção, mas custava ser um pouco mais verossímil.
   A questão que me incomodou sobremaneira na estória foi que a autora quis criar uma personagem forte, e isso até é legal, mas não conseguiu torná-la empática, portanto não acreditei na "força" da personagem que em toda a luta que se metia ela sempre ganhava. Sério! Tipo, aquelas cenas manjadas, sabe? Estou morrendo e no fim encontro uma brecha de sei lá o quê e onde e consigo vencer porque sou hábil e blá blá blá. O problema da profundida dos personagens não me incomodou tanto quanto isso. Acho que gosto de ver os protagonistas perderam para ganhar. Entende?
   E até do super vilão - temido que ninguém conseguia derrotar, mas somente ela ganhava? Como é que diz que todos até mesmo ela devem temer o vilão porque ele é forte e blá blá blá e na primeira oportunidade de luta ela já ganha assim num split? Todas as outras situações de “batalha" pareceram até desnecessárias. Enfim, isso é só a minha opinião.
   Uma garota no skoob estava tendo o mesmo problema que eu com a leitura e me questionou sobre a minha opinião - a diferença é que consegui ler rápido e ela abandonou. Eis o que disse a ela.
Bem, eu não achei ruim o livro mas enxerguei muitos problemas na estória como por exemplo: toda luta que Ari se metia ela parecia sempre vencer; um romance super instalove com o Bastian que também não me convenceu; aquela amizade de eu luto por você insta também com pessoas que ela nem conhecia; como ela pode pensar em ir para Nova 2 assim do nada com quem não conhece; há muitas coisas no livro que não me soaram críveis; além de que os pais adotivos da garota pareciam estar ali apenas para dizer que ela morava com alguém porque seus papéis são simplesmente menos que figurantes e tudo parece ser propício demais para a protagonista como se as coisas caíssem de bandeja no colo dela. Eu encontrei um monte de coisa incoerente na estória, por isso a nota baixa. Mas achei que o ritmo do livro era bom. Outra coisa é que não consegui sentir empatia pela protagonista porque não achei que o psicológico dela foi tão trabalhado - mas essa parte talvez seja meu lado dramaqueen falando. Enfim, não é que a obra não funcionou comigo, recomendo que cada um leia por si só e tire suas conclusões - a estória simplesmente pareceu mal trabalhada para mim.
   O ponto positivo é que a escrita da autora é ágil e você lê rapidinho então não fica enrolando para terminar. Outra coisa que achei legal é que revi na mente alguns cenários de The Originals, tipo o French Quarter e outros lugares que não conhecia.
Enfim, eu não gostei da estória, não digo isso da leitura que foi ágil, mas acredito que cada um tem que tirar sua própria conclusão e ler por si só.
Nota: 2,5 / 5
XO XO

15 comentários:

  1. Oi, Alana!
    Menina, eu quase sempre confio na opinião do goodreads. Geralmente eu vou atrás de resenhas negativas haahhahhah
    Se antes eu não estava muito a fim de ler, agora depois dessa sua resenha super sincera, é que não vou me arriscar.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Promoção Natal Literário
    Participe do Sorteio de Fim de Ano
    Participe da promoção três anos de Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Eu já conhecia esse livro, e vi diversas resenhas um tanto quanto desanimadoras. Eu já não queria ler e agora menos ainda kkk. Eu acho essa capa muito linda e fico feliz que o livro não é de todo ruim, e a escrita ágil pode ter sido o ponto mais forte. Até mais ver
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá, Alana.
    Não tinha visto esse livro ainda. Acho que leria porque diferente de você eu gosto do gênero para ler de vez em quando. Se ler um atras do outro enjoa porque como você disse é bem clichê. Quando comecei a ler a sinopse já pensei em Feita de Fumaça e osso mas pelo jeito está bem longe de ser tão bom quanto ele hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tipo, eu achei fraco, mas pode ser só a minha exigência. Pode ser que tu goste.

      Excluir
  4. Te entendo nessa parte de mesmo sendo ficção, tentar ser mais coerente mesmo assim. Já li muitos livros assim. hahaha
    Jurei que a resenha ia ser muiiito positiva depois do seu "que livro é esse?" hahahaha
    Poxa, eu tinha gostado tanto da trama, e agora desanimei. Irei conferir mesmo assim porque sou teimosa, mas já sei o que esperar pelo menos.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  5. O problema comigo nem são os clichês, porque quando bem desenvolvidos, são bem vindos, ou mesmo enredos sobrenaturais. Mas, não gostei da forma como a autora desenvolveu sua história. Quando o personagem não passa empatia, fica difícil mesmo. A capa não me chamou tanto atenção como fez com você, e é uma pena que suas últimas leituras não tem sido boas.
    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. OIE
    Que legal sua resenha, uma pena que a autora pecou na construção da personagem, pois isso é essencial para uma na leitura mesmo assim parece ser bem interessante o livro, boa dica

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá Alana,
    Ao contrário de você, eu curto muito livros do gênero e li todos que estavam na moda, apesar de não ter gostado de alguns.
    Achei essa capa lindíssima, mas a premissa dele não me atraiu. Acho que a Ari é uma personagem que me incomodaria ao londo da leitura. Fico contente que você tenha concluído a leitura, mesmo que ela não tenha te agradado no todo.
    Vou deixar a dica passar, pois acho que a Ari não vai me agradar.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem? Não costumo ler livros do gênero justamente por achar difícil algo que preste. Ao contrário de você, não gostei muito da capa, mas achei a sinopse intrigante. Uma pena que ao ler sua resenha vi tantos pontos negativos nessa obra, que realmente parece ser bem fraca no enredo e criação de personagens. Obrigada pela sinceridade, beijos.

    ResponderExcluir
  9. Assim como vc gostei da capa, mas não gosto do gênero, quer dizer acho que não seria o gênero para hoje. Maaas parabéns pela escrita sobre a obra, amei teu jeito de falar do livro e sua sinceridade

    ResponderExcluir
  10. Olá, que resenha hein?
    Confesso que eu ficaria totalmente perdido nessa história, é muita informação e os personagens são bem fracos.
    Acho que faria como a menina do skoob e abandonaria. Não confio muito nas opiniões do goodreads, já fui na opinião de lá e acabei me arrependendo pela leitura.

    ResponderExcluir
  11. Menina e não é que eu tava louca pra ler essa história? Faz pouco tempo que li uma resenha sobre esse livro e fiquei obcecada. Precisava ler a todo custo.
    Agora me vejo na sua resenha.
    Tudo que você mencionou, sem tirar nem por, eu detesto. Detesto relacionamentos superficiais e conexões mal feitas. Detesto personagens que se acham estranhos sem nenhum motivo aparente. E detesto quando tudo é extremamente fácil para o protagonista, como ele parece sempre ganhar tudo.
    E é por isso que vou ler.
    Sim, não faz o menor sentido, mas eu preciso passar por essa experiência para entender se gosto ou não. Principalmente depois de ter visto duas opiniões tão diferentes.
    Mas se o livro for mesmo do jeito que você pintou, vou imitar a garota do skoob e vou abandonar. Não sou obrigada a continuar numa história ruim.
    Sua resenha está ótima.
    Bjs, Mila

    http://a-viagem-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oiee, tudo bem? Eu queria ler esse livro pois a premissa me lembra um pouco da trilogia Feita de Fumaça e Osso, que tem deuses e monstros no enredo. Agora lendo sua resenha mudei um pouco de ideia e não sei se quero mais ler! De qualquer forma, amei a resenha! A capa é mesmo lindíssima, bem convidativa, principalmente para quem gosta do gênero sobrenatural, o que é o meu caso.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Oi, tudo bem?
    O livro parece até ser legal, mas ultimamente eu estou dispensando muitas séries pelo motivo de ja ter muitas para completar. Quem sabe quando todos os livros forem lançados eu chegue a ler, pois a autora parece ter feito um ótimo livro. A editora fez uma capa linda também.

    ResponderExcluir
  14. Oi, Alana!
    Não tenho mais tanto interesse por livros sobrenaturais como tinha antes, então acho que não vou aproveitar a dica. Alguns pontos que você destacou talvez até me agradaria, eu gosto de clichês, e também dos vampiros, anjos e afins, mas como as tramas sobrenaturais pendem para o lado juvenil acaba não despertando tanto meu interesse. Achei a capa bem bonita!

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir