Resenha: Um de nós está Mentindo - Karen M. McManus

2.4.18

Título: Um de Nós Está Mentindo - Seu desafio: ligar os pontos|  Autor: Karen M. McManus
Páginas: 384 | Editora: Galera Record | Lido em: Março de 2018

Cinco alunos entram em detenção na escola e apenas quatro saem com vida. Todos são suspeitos e cada um tem algo a esconder. Numa tarde de segunda-feira, cinco estudantes do colégio Bayview entram na sala de detenção: Bronwyn, a gênia, comprometida a estudar em Yale, nunca quebra as regras. Addy, a bela, a perfeita definição da princesa do baile de primavera. Nate, o criminoso, já em liberdade condicional por tráfico de drogas. Cooper, o atleta, astro do time de beisebol. E Simon, o pária, criador do mais famoso app de fofocas da escola. Só que Simon não consegue ir embora. Antes do fim da detenção, ele está morto. E, de acordo com os investigadores, a sua morte não foi acidental. Na segunda, ele morreu. Mas na terça, planejava postar fofocas bem quentes sobre os companheiros de detenção. O que faz os quatro serem suspeitos do seu assassinato. Ou são eles as vítimas perfeitas de um assassino que continua à solta? Todo mundo tem segredos, certo? O que realmente importa é até onde você iria para proteger os seus.
        Para ser sincera, não é bem um desafio ligar os pontos como promete na capa.

   Bem, não vou explanar a obra, a sinopse está aí para isso, além de que o hype do livro já diz tudo que precisa saber para conhecê-lo em partes.
"Não confiamos uns nos outros, isso é bastante óbvio."
         Eu juro que não sou do contra e não estava tentando detestar o livro, mas aconteceu. Na verdade, eu comecei a leitura já sabendo da opinião de leitores gringos que confio e fizeram uma review não muito animadora, mas eu estava confiante que iria gostar da estória. Não foi o caso.
         Eu definitivamente não iria fazer uma resenha da obra, mas sinto que deveria deixar às claras algumas ressalvas do livro que não percebi a blogosfera ressaltando.
          Os personagens da estória são unidimensionais e superficiais, muito óbvios e você não acaba vendo algo novo para se intrigar. Talvez o romance que acontece aos poucos o leve adiante na leitura, mas de resto a construção das personagens, as ações são muito abruptas; o que me levou a não sentir a carga dramática necessária para simpatizar pelo que estava acontecendo. Achei que a obra da autora foi ruim, mal trabalhada e fraca nesse aspecto, eu esperava um pouco mais de trabalho minucioso na construção da problemática das personagens, mas isso não aconteceu.
          Não acho que houve pesquisa suficiente para corroborar o enredo ou coisa do tipo. A investigação em si, pelos céus, parecia muito amadora e fubá, seguindo a passos largos sem os subsídios suficientes para uma investigação do tipo.
"Sejamos francos: todo mundo no Colégio Bayview odiava Simon. A diferença é que eu tive coragem suficiente para fazer algo a respeito disso.
De nada."
               A obra me incomodou bastante e foi sofrível terminar. O mistério em si não é interessante e pouco empolgante uma vez que na metade do livro você já desconfia o que está acontecendo. O livro não funcionou para mim, o desfecho foi óbvio e não me empolgou, sobretudo porque a autora finalizou com uma problemática que me deixou desconfortável que explano na parte do spoiler alert.
               O meu maior problema com a estória talvez seja porque a autora vilanizou a doença mental e quanto mais avançava na leitura e entendia a cabeça de Simon mais eu ficava incomodada com o desfecho anticlimático da autora. A doença mental foi banalizada em nome de uma reviravolta para a estória. Fala sério!
SPOILER ALERT
O suicídio de Simon é usado como um dispositivo de enredo, e mesmo depois de as pessoas descobrirem como ele estava deprimido, elas ainda o odeiam – é claro que ninguém é obrigado a  gostar de ninguém, mas a sociedade que o Simon estava inserido que o levou a diversos atitudes ruins. O plano do Simon é frequentemente comparado com um tiroteio na escola e acredito que esse ponto não foi tratado com cuidado pela autora. Suicídio e depressão não são coisas que devem ser usadas para tornar uma história "escandalosa", “empolgante” ou para uma grande reviravolta na trama.
FIM DO SPOILER 
             Além disso houve situações na obra que foram mal-acabadas em minha concepção. No geral eu não deixo de recomendar uma obra por eu não ter gostado, mas o problema que citei acima me deixa numa posição difícil de recomendar às pessoas.
NOTA: 2/5
Créditos da foto: A World to Read
XO XO

5 Comments

  1. Oi!!

    Desde que o livro foi lançado eu tenho lido resenhas que exaltaram a história, apesar de alguns pontos negativos aqui ou ali.
    Continuo bastante curiosa para ler esse livro.

    Beijos
    http://espiraldelivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. amei sua resenha. Estou curiosa para ler o livro.
    seu blog é lindo!!
    https://escreverdayse.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Alana
    Como você viu na minha resenha, eu gostei muito da trama. Não vi gatilhos nesta história, apesar de que cada um tem uma percepção diferente. Eu me senti cativada pelo mistério, confesso que até certo momento nenhuma das personagens me agradava, exceto o Nate, mas comecei a gostar deles, o que me ajudou a terminar a trama. Ainda assim indico a obra para aqueles que querem saber o final.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com/

    ResponderExcluir
  4. Ótima resenha amei o livro, obrigado pela visita.
    Blog: https://arrasandonobatomvermelho.blogspot.com.br/
    Canal:https://www.youtube.com/watch?v=DmO8csZDARM

    ResponderExcluir
  5. Olá, Alana.
    A sua é a segunda resenha que leio que apontou os pontos negativos do livro. Todas as outras foram muito elogiosas. É tão ruim quando isso acontece, todo mundo ama e a gente não consegue gostar. Acabou de acontecer comigo com um romance de época que todo mundo amou. Mas apesar dos defeitos, ainda quero ler esse livro. Afinal sou dessas que enquanto não mato a curiosidade fico pensando no livro hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir

 
Desenvolvido por Michelly Melo.