8 de novembro de 2016

Resenha: Uma Loucura Discreta - Mindy McGinnis

Confesso que há muito tempo estava babando por essa capa, e seu jeito sombrio foi o que me fez decidir ler o livro. Até porque era outubro e eu estava decidida a ler algo mais sombrio que combinasse com o mês. Mas so that's it folks. Vamos conhecer um pouco dessa estória e minhas impressões sobre ela.
Título: Uma Loucura Discreta
ISBN-13: 9788592783020
ISBN-10: 859278302X
Ano: 2016
Páginas: 388
Idioma: português
Editora: Plataforma21
Lido em: Outubro de 2016
Boston, 1890. Asilo Psiquiátrico Wayburne.
Em Uma Loucura Discreta, Mindy McGinnis explora com maestria narrativa a tênue linha entre sanidade e loucura, revelando o lado obscuro que existe em todos nós.


– Ele é o mais são de todos nós.
– E por quê?
– Porque ele reconhece que é insano.
  Grace foi forçada a residir num manicômio por guardar inúmeros segredos sujos de sua família - e que pode prejudicar a vida política e social do pai através das garras mordazes de um escândalo. Ela lembra do primeiro dia que chegou no asilo e a maneira como foi tratada pelos cuidadores. Brutal. Terrível. Desumano. Em meio a loucura que vive e por causa do que precisa esconder, Grace toma a decisão de manter-se em silêncio e jamais usar sua voz. No manicômio ninguém nunca a ouviu, a não ser ela mesma, dentro de sua mente.
    Após meses mantendo a compostura diante dos residentes, Grace Mae tem uma crise, um acesso de fúria violento que faz com que sua voz volte e todas as palavras que vinha reprimindo escapam de seus lábios. Grace então é confinada em um porão escuro. E lá ela conhece o médico que faz lobotomia, Dr. Thornhollow, um estudioso de psicologia criminal.
- Eu vejo o sangue e penso na pessoa que o está vertendo, ao passo que a sua mente está focada somente em quem o derramou. Meus pensamentos se concentram nas pessoas, e os seus, no quebra-cabeça.
- E é exatamente por isso que eu preciso de você.
    Então esse médico faz uma proposta: Grace tem um olhar aguçado, é muito inteligente e ele encontra a solução para que ela o auxilie. Eles escapam da instituição em busca de um nova vida em Ohio onde podem solucionar crimes sem que possam reconhecê-la. Mas será que todo o risco será compensado? Será que ninguém os encontrará?
   Ok, ok. Eu realmente não esperava que o livro tomasse esse rumo. Eu sei, tem na sinopse, mas eu realmente acreditava que Grace Mae teria que lutar com seus demônios de loucura num asilo e tudo o mais – tipo, daquela forma que acontece no filme A Troca que a Jolie é levada ao manicômio sem justa causa e tem que lidar com loucos e sr trancafiada na solitária e coisa e tal. É interessante que nesse livro é mostrado que as mulheres, por tudo que faziam que soava estranho e incongruente a sociedade, eram levadas a viver num asilo. Por histeria, por falar só, por engravidar sem se casar e tantas outros casos apresentados.
   Achei isso bastante cruel e triste, apesar de ter sido uma realidade. Saber que ter um comportamento distinto levava pessoas – mulheres na maioria – a viver num manicômio injustamente é revoltante e melancólico.
Todos eles tinham seus terrores, mas pelo menos as aranhas que viviam nas veias da garota nova eram imaginárias. Grace aprendera havia muito tempo que os verdadeiros terrores deste mundo eram as outras pessoas.
    A estória para mim tem mais uma pegada forense policial do que de terror ou coisa parecida. A capa totalmente justifica a protagonista, mas quem estiver esperando aquele terror dos filmes que tratam de asilo e essas coisas irá se decepcionar. Apesar de eu ter dito que a estória fluiu para um caminho que eu não esperava, foi bom e realmente satisfatório. Tem uma carga de tensão interessante e durante boa parte da leitura você se pergunta quem são os loucos e quem são os sãos e se realmente há esse tipo de coisa. Você fica com medo dos atos de algumas personagens, se perguntando se é certo ou errado, mesmo que em partes "seja justificado".
    Grace tem uma personalidade forte e apesar de desestruturada às vezes, mantém uma linha congruente em seus atos. Ela sofreu bastante na vida e tudo que passou fê-la ficar mais atenta as pessoas para não cair em suas ciladas e loucuras.
   Thornhollow é o médico centrado que estuda o comportamento humano e apoia Grace em algumas circunstâncias e está sempre disposto a conduzi-la a desvendar até o fundo de um crime. Ele é prestativo e um bom amigo. Há muitos outros personagens interessantes na narrativa que tem igual relevância, mas que não mencionarei aqui para não estragar a surpresa.
Você aprendeu que a beleza pode lhe ser desfavorável, e sua constituição física é tão delicada que você nunca será capaz de defender-se. Seu cérebro é sua força; sua rapidez de raciocínio é a única coisa que pode libertá-la da execrável vida dos idiotas.
Estamos aqui porque somos as pessoas mais sãs desta instituição, então eles nos meteram aqui embaixo para servimos de pilar, dando sustentação para os devaneios de suas próprias mentes. Eles nos chamam de insanos, depois alimentam suas próprias insanidades em nossa carne, pois por hora somos menos que humanos. Heedson e Croomes são típicos exemplos da maioria do mundo, amor. Eles empurram sua discreta loucura em nós, seu poder, sua dor, e nós nos apegamos às nossas verdades aqui na escuridão.
   Esse é um thriller dark que faz o leitor refletir em muitas passagens. Como o mal nasce? O comportamento psicótico é adquirido ou é hereditário? Quem são os loucos de verdade?
Recomendo a leitura.
Nota: 3,5 / 5

12 comentários:

  1. Oii Alana

    Acho essa capa linda e ela chama muito a atenção. A história não me deixa indiferente, é até um alivio que tenha mais uma pegada de thriller que de terror, embora confesso que esperava algo mais apavorante com relação a situação do asilo. Enfim, é uma leitura que eu quero fazer futuramente.

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  2. Oi Alana!

    A capa é realmente muito bonita e a pegada policial me atrai mais que o terror! Não sei se leria no momento, mas adorei a resenha!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Olá, Alana.
    Se fosse hoje em dia não ia ter manicômio para todo mundo hehe. Eu gostei bastante da capa e achei a história bem interessante, mesmo não seguindo pelo caminho que você pensou que seguiria. Se der eu vou ler ele sim.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Olá Alana, tudo bem?

    Eu nunca tinha visto esse livro, achei muito interessante a temática e a sua resenha contribuiu para o meu interesse em ler o mesmo. A capa ficou bem legal, acho interessante ter essa pegada policial. Vou anotar na minha lista essa obra!
    Bjus

    ResponderExcluir
  5. Oi, Alana!

    Gostei bastante da premissa desse livro. Um assunto policial, mistério... A capa tá sensacional! Obrigada pela dica, vou adicionar à minha lista. Parabéns pela resenha, amei!

    Sucesso com o blog sempre!
    Beijos, Belle.
    floraliteraria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Confesso que eu não sabia de nada dessa obra, que bom que conferi sua resenha! Fiquei babando na capa também. A premissa me interessou bastante, achei bem triste isso também dela ir pro asilo como louca sem motivo. Li garota interrompida e fala mais ou menos disso, só que é uma história real, bem chocante.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  7. Oie, tudo bem?
    Eu estou com uma duvida imensa a respeito se devo ou não comprar esse livro. Algumas resenhas que eu leio eu penso que vou gostar da leitura, enquanto outras me desanimam total...
    Gosto bastante de livros com uma pegada mais thriller, mas assim como você, mesmo sabendo de alguns pontos que são destacados na sinopse, eu achava que algumas coisas poderiam ser 'surpresa', ou seja, chegar a um determinado ponto (sair do asilo) depois de passar por uma narrativa detalhada (ok, posso estar errada pq ainda não li, mas pela sua resenha parece que tudo foi meio rápido).
    É interessante e revoltante pensar que antigamente as mulheres que queriam '~soltar a voz~ e lutar pelos seus diretos eram caladas e julgadas como loucas. Sério, isso me deixa p*** da vida.
    Apesar das suas considerações, eu ainda estou animada com a leitura desse livro (pq ele tem vários elementos que eu gosto)... Mas como disse no começo, eu ainda não sei se a hora é agora.

    Beijos
    www.procurei-em-sonhos.com

    ResponderExcluir
  8. Olha, pela capa não dava nada ao livro, mas ao ler sua resenha e a sinopse, estou simplesmente encantada, quero pra ontem.

    ResponderExcluir
  9. Olá! Que interessante a proposta desse livro! Eu também adorei essa capa e a história me pareceu um forte drama familiar, com tantos segredos escondidos! Ah, teria uma hora em que a personagem teria mesmo um surto após tanto tempo em silêncio! Adorei a proposta de fugir do manicômio para solucionar crimes e quando você disse que, apesar de tudo, a pegada do livro é mais policial que terror, eu gostei ainda mais. O assunto é polêmico e, pela sua resenha, me despertou vontade de ler.
    Valeu a dica!
    Beijos!
    Karla Samira
    http://pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi!!

    Alana tudo bem?

    Eu já sabia que o livro estava mais para o lado policial, esse fez um sucesso entre as blogueiras e estava bastante evidente. Mesmo a capa dando esse relance de curiosidade e o tema ser bem de encontro com o que gosto, no momento não leria. Uma das caracteristicas destacadas em sua resenha é o fato de pra todo e qualquer evidência "imoral" esse tipo de "asilo" ser usado durante o século passado para tirar as pessoas da sociedade, isso é evidência histórica e amo essas questões... enfim..... fica pra próxima. Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi Alana, sua linda, tudo bem?
    Essa capa é bem forte. Já li algumas resenhas negativas e algumas positivas sobre o livro, por isso minha dúvida. Mas gostei muito de ser mais investigativo do que terror, adoro mistérios. Também achei muito importante a crítica que a autora fez ao denunciar o que acontecia com as mulheres nessa época, realmente cruel e desumano. Acho que vou dar uma chance para ver se vou gostar ou não. Gostei muito da sinceridade da sua resenha que ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Olá, Alana.
    Está aí um livro que eu não conhecia, mas que a premissa me chamou a atenção. Apesar de não ser tão dark quanto eu geralmente gosto, essa ideia de questionar quem são os verdadeiros loucos me agrada.
    Excelente resenha, como sempre.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de novembro. Serão dois vencedores, dividindo 3 livros.

    ResponderExcluir