28 de agosto de 2016

Sobre Audiobooks

      Helloo, pessoas, tudo numa nice?!
   Então, eu meio que estou super em off com os posts, mas tenho um motivo óbvio para isso que é: estou escrevendo. Ah, novidade, Alana. Conta outra! Pois é. Não tem outra. Mas eu também estou lendo bastante. Essa semana não está sendo como eu queria para o ritmo que imprimi no início do mês; eu poderia ter lido mais livros, mas preferi me concentrar num projeto que estou desenvolvendo - comecei o livro no dia 24/08 e já tenho mais de cem páginas!! #delírio Depois eu compartilho tudo sobre el com vocês, mas já adianto que é uma fantasia! *-* Voltando... De qualquer maneira eu percebi que no mês que eu mais leio menos resenha faço porque fico num ritmo frenético de leituras e não paro para escrever meu parecer das obras.
    Enfim, hoje eu vim falar de um assunto que nunca me ocorreu antes de verdade, apesar de eu já ter visto a menção numa tag, mas que somente nesses dias dei a devida importância. Hoje eu estava vendo um vídeo da vlogger Sara Without H que mencionou sobre ter finalizado a leitura de um livro e blá blá blá. O engraçado é que ela disse que tinha sido por audiobook e começou a mencionar como era awesome and stuff. E eu fiquei: Hã? Isso não é meio que cheat? Você ouviu, não leu.
   - Ignorem, mas estou no mode inglês britânico hoje - ninguém está ouvindo minhas voz, mas tudo bem - e estou a fim de escrever como eu falo normalmente. Misturando as línguas.
   E foi aí que eu me peguei pensando sobre isso. Audiobook, I mean. Eu já ouvi um audiobook, mas não foi por completo. Foi só um pouco de um livro da Leigh Bardugo. O áudio estava em inglês, what is awesome, mas ainda assim eu acompanhei a leitura. E há dois motivos para eu ter feito isso. 1) Se eu não ler e só ficar ouvindo eu me desconcentro totalmente, não presto atenção e me perco na estória. Já pensou de acontecer de eu estar ouvindo um livro e de repente chegar na metade e nem saber do que se trata? Pois é, eu me conheço e por isso li e ouvi. Como vocês já sabem eu tenho sérios problemas de concentração. Se lendo eu me disperso, imagina ouvindo.
    E 2) eu acho que se eu não ler, virar as páginas e decifrar as palavras com meus olhos, acho que estou trapaceando como foi a minha primeira impressão quando a Sara mencionou o recurso
Eu realmente nunca parei para ler nada sobre a novidade do audiobook e confesso que em partes eu gostei do recurso e em outras não me chamou tanto a atenção assim. Aconteceu de eu precisar ler uma obra em inglês para notar certas coisas.

     A minha experiência com o áudio foi boa porque a voz da narradora soava muito bem para uma história sombria e de mistério que estava acompanhando – e se seguir nesse linha, estou pensando seriamente em acompanhar audiobooks porque 1) vai ajudar no meu inglês, ouvir é sempre bom e 2) eu vou ler e ouvir ao mesmo tempo o que fixa ainda mais.
     É uma não novidade bem boa que auxilia quem não tem tempo de parar para ler ou não pode ler. Algo muito grave que eu via - quando andava de ônibus - é que as pessoas leem no transporte o que é um seriously crime. Não pode, gente. Eu sou silenciosa, mas quando vejo coisas assim desse tipo eu falo com quem quer que seja. Dá uma agonia da pega. É a mesma coisa de eu ver gente desperdiçando água quando está lavando os pratos ou coisa parecida. Eu reclamo mesmo com quem quer que seja. Já chamei a atenção de um cara e disse: Não pode ler em movimento, moço. Pode desviar a retina.
Mas enfim, já fugi do assunto.
  Eu só vim compartilhar com vocês dessa curiosidade e da minha boa experiência. Estou pensando seriamente em adotar a ideia de áudios só para livros em inglês e às vezes - até porque eu gosto de ler com a bagunça silenciosa das minhas inferências em ação ahaha.
Bem, por hoje é só, people!! 

6 comentários:

  1. Olá, Alana.
    Esses dias eu estava em uma conversa com meus sobrinhos e a gente estava falando sobre a possibilidade de se tornar um milionário e um dos meus sobrinhos comentou que ia pagar alguém para ler para ele. Eu fiquei indignada porque o meu prazer com um livro é eu mesmo ler ele. Então acho que a experiencia não daria muito certo comigo hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Oi
    que bom que gostou da experiência, mas não me vejo lendo desse tipo, gosto de viras as páginas ou ler e-books, ver as letras.

    momentocrivelli.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Alana!

    Eu tenho muita vontade de experimentar o audiobook, realmente ajuda bastante com a língua estrangeira, vc tem toda razão!!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Olá, Alana.
    Eu já tentei audiobooks, mas não rolou. Meu pensamento voa, viaja, divaga... Quando volta, já era. Sou desconcentrado ao extremo para isso. Porém, realmente deve ajudar com a língua estrangeira.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de agosto. Serão dois vencedores e um deles levará um vale compras!

    ResponderExcluir
  5. Oie Alana =)

    Eu nunca tentei audiobooks, mas gosto de ter o livro em mãos sabe? Acho que torna a experiência de ler mais real. Nem com e-books eu me dou muito bem ainda rs... Porém vejo os audiobooks como uma boa opção para quem está estudando inglês, por exemplo.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  6. Oi Alana,
    Tenho amigas adeptas de áudio books, porém eu me sinto um pouco preguiçosa, rs.
    Não funciona para mim!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir