2 de maio de 2016

Resenha: Tudo e Todas as Coisas - Nicola Yoon

     Helloo, people... tudo numa nice?!
 Bem, esse é um livro pelo qual eu estava aguardando bastante tempo para fazer a leitura porque simplesmente fiquei curiosa pela estória e como fez barulho nos States, queria conferir. E eu amei a sinopse, é claro. Eu tinha muita expectativa e esperava me emocionar bastante. Vocês já devem saber que eu curto leituras catárticas e que me impressionem ou me façam chorar às vezes.
     E para que a minha visão da estória não fosse aumentada ou deturpada, fugi de praticamente todas as resenhas desse livro porque queria me surpreender e sentir o gostinho de descobrir cada coisinha sozinha. Eu gosto da surpresa de ler livros às cegas. Mas, infelizmente, não senti nada com a obra. A estória não entregou tudo que eu esperava.
Título: Tudo e Todas as Coisas
Autor: Nicola Yoon
ISBN-13: 9788581637884
ISBN-10: 8581637884
Ano: 2016
Páginas: 304
Idioma: português
Editora: Novo Conceito
Lido: Abril de 2016
"Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa. Nunca saí em toda minha vida. As únicas pessoas que já vi foram minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostumada com minha vida até o dia que ele chegou. Olho pela minha janela para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega olhando-o e me encara. Olho de volta. Descubro que seu nome é Olly. Talvez eu não possa prever o futuro, mas posso prever algumas coisas. Por exemplo, estou certa de que vou me apaixonar por Olly. E é quase certo que será um desastre."

     A coisa boa foi que quando estava com o livro eu não criei expectativas como antes do lançamento aqui no Brasil. Desde o ano passado queria ler a obra, algumas blogueiras já tinham postado resenhas antes, favoritando e essa coisa toda. Porque aparentemente a editora ia publicar ano passado. E a capa do livro nem era bonita assim, prefiro mil vezes a nova.

Capa do ano passado.

   A questão não é que eu não curti a estória, só achei bem fraca. Havia muita coisa para ser explorada e não foi. Acredito que porque os capítulos eram minúsculos e sem muita emoção, não existiu aquela questão de um sentimento muito bem trabalhado na estória para que causasse um sentimento de comiseração intrínseco que nos fizesse prantear pela personagem ou coisa parecida, a autora não explorou tudo que poderia, não deu para sentir tamanha empatia e eu não consegui acreditar em muita coisa da doença da personagem.
Naquela noite, sonho que a casa respira comigo. Eu exalo e as paredes se contraem como um balão furado, me esmagando quando desinfla. Eu inspiro e as paredes se expandem. Mais uma única respiração e minha vida por fim, finalmente, irá pelos ares. 
     Meio sem noção. Até nos capítulos super importantes quando aconteceu um plot twist  não foi explorado quanto poderia. Eu sou dramática, eu sei. Pode ser meu lado #dramaqueen falando mais alto, mas, a verdade é que para mim o livro não foi tudo isso.

   Também acredito que por causa daquelas imagens bem fofinhas da diagramação, isso dinamizou a leitura e muitas pessoas gostaram. Essa parte é legal, mas ao meu ver só serviu para encher página. Eu queria mais palavras e mais desenvolvimento.
    Como sempre, eu gostei do crush. O Olly é muito fofo. Dou um destaque em especial para Carla, a enfermeira de Maddy, melhor pessoa, que acredita na garota e se esforça para deixá-la bem quanto a saúde e o coração. Eu não gostei da mãe da Maddy, simplesmente. Desde o início com todo aquele esforço dela para ficar próxima demais da filha, aquele jeito protetor me pareceu crível em alguns pontos, mas eu não gostei dela. A Madeline não foi uma protagonista que desgostei. A verdade é que não senti nada de muito empolgante por esse livro. Foi meio morno.
     A estória foi bem corrida, e a personalidade dos personagens não foi tão bem trabalhada. Senti que a estória foi assim: a autora decidiu contar uma estória meio superficial sobre o romance de uma menina doente e carinha da casa ao lado. E nós, leitores, ficamos assistindo a isso acontecer, mas rapidamente. Não como um filme de duas horas ou uma hora e meia. Mas como uma estória que diz: foi isso. Acabou.
    O final foi meio agradável, mas acho que faltou um pouco mais de explicação. Perceberam que nessa resenha choveu a palavra: meio. Porque foi o que senti nessa estória. Foi tudo: é... tá bom. Meio... hum... deixa pra lá.  
     Bem, esse é um livro que muita gente AMOU. Eu não. Mas ainda assim recomendo por esse mesmo motivo, muita gente gostou. Vocês podem sentir-se convencidos. Cada um tem sua opinião e é tocado de formas diferentes com as estórias.
Nota: 3/5

9 comentários:

  1. Oiii Alana!

    Realmente muita gente AMOU esse livro, confesso que me chama a atenção, quero formar a minha própria opinião porém, não vou com muita sede ao pote mesmo... já me decepcionou vezes demais confiando em livros que todo mundo amou e eu não! (ops, John Green...rsrs)
    Não gosto de estória corrida, vamos ver se essa consegue pelo menos me convencer.. um pouco que seja

    Beijinhos

    naprateleiradealice.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  2. Primeira resenha que vejo não totalmente positiva do livro, mas entendo perfeitamente seu argumento, ainda estou com vontade de lê-lo. Confesso que sempre atraso a compra, a lista de livros para ser lidos está tensa kkk. Ótima resenha Alana, beijão.

    EuVocê&oslivros

    ResponderExcluir
  3. Oi, Alana!
    Eu estava de olho nesse livro desde que ele foi lançado lá fora. Tanto que comprei o ebook na pré-venda e só agora que estou lendo.
    Acho que fui com muita expectativa e ele não está sendo o que imaginei que seria...
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Oi, Alana! Tudo bem? Mas gente... Sério que você achou tudo isso do livro? Eu achei ele perfeito e logo favoritei! <3 Discordo de muita coisa que você falou (rs), mas enfim... Cada um tem sua opinião, né?

    Abraço

    https://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ótima resenha, bem estruturada, parabéns.

    Tá rolando um sorteio no meu blog, da uma olhada ;)

    http://www.vestigiodelivros.com.br/2016/05/sorteio-5-kits-de-livros-5-chances-de_1.html

    ResponderExcluir
  6. Olá, Alana.
    A sua é a primeira resenha que leio desse livro que não amou ele. É uma pena mas as vezes acontece. Aconteceu comigo em ACEDE, todo mundo amou, eu gostei mas não vi nada demais. Eu ainda quero ler esse livro, mas não estou com muitas expectativas em relação a ele. A capa anterior era bem mais feia hehe.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi Alana!
    Adorei o fato de vc falar dos pontos negativos do livro, porque nem sempre temos que gostar de tudo né?
    Gostei muito da sua resenha e o livro parece ser legal, meio que o meu estilo, mas ai só lendo pra saber hahaa, pode ser que eu não goste também!
    Beijosss
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oie Alana =)

    Eu gostei bastante do livro, apesar de achar que o final foi muito rápido. Acho que a proposta da autora era de escrever algo simples e meigo mesmo.
    Os pontos negativos que você salientou, foram os mesmos que me incomodaram um pouco durante a leitura, mas como conjunto gostei bastante do que li.

    Beijos e um ótimo final de semana;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  9. Sou loucampra ler esse livro. A capa é um amooor e a historia parece ser muitooo linda. Ta na minha wishlist de maio kkk
    http://b-uscandosonhos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir