14 de fev de 2016

Só Comentários... #1

  Helloo, people...
Acho que vocês já devem estar cientes que meu nome é desorganização, pois é. 
Ando muita atarefada por causa da faculdade e das coisas que tenho que fazer por mim mesma. Esses dias eu me vi perdida com a quantidade enorme de resenhas que eu tenho que fazer pelo simples motivo de eu estar lendo descontroladamente e não estar conseguindo escrever tudo o que eu quero, não estou conseguindo acompanhar a minha loucura literária. E essa semana fui visitar o blog da Sil e vi uma coluna que ela queria ressuscitar sobre dar opiniões sobre os livros que leu e que não resenharia e percebi que era a coisa certa a se fazer com as minhas leituras também. Algo coerente que me ajudaria a me organizar mais. Então, os livros que tenho preguiça de resenhar ou que não estou me sentindo no clima para fazê-lo, farei alguns comentários breves somente. Todo final do mês. Tá meio atrasado o post, mas só dava para começar a review agora.
Acho que li onze a doze livros esse mês, quero bater a minha cota ahahah. Só preciso de tempo.
Então vamos lá as minhas leituras não resenháveis:
Boston Boys
Boston Boys conta a história de Ronnie Adams, uma garota responsável e pé no chão, que vive em Boston desde que nasceu. Sua vida vira de cabeça para baixo quando ela descobre que sua mãe, uma analista de sistemas, resolve mudar radicalmente de emprego: se torna produtora do programa de TV Boston Boys, uma série de sucesso que mostra a vida perfeita de três integrantes de uma boyband americana, que é o último programa que Ronnie gastará seu tempo para assistir. Para lhe trazer ainda mais dor de cabeça, Mason McDougal vocalista da banda e protagonista da série vai morar com ela e sua família por motivos que ela desconhece. A convivência diária com um astro de TV egocêntrico e implicante é difícil para Ronnie e piora ainda mais quando ela tem que lidar com os outros dois atores do programa: Henry e Ryan. Além deles, surge um fã louca e perseguidora que parece rastreá-la a cada passo. Ronnie vive altas aventuras com os garotos uma viagem internacional, uma guerra cibernética de boatos para uma revista, seu ódio pelas meninas de sua escola, as picaretagens de produtores e até uma possível separação da banda. Apesar de tudo, ela cria um vínculo com este universo glamouroso que achava nunca ser possível.
Comentários...
      Essa foi uma leitura bem complicada para mim, na verdade, para ser sucinta, eu vou dizer como foi em uma palavra: blah. Eu tinha expectativas para com a leitura e mesmo com uma proposta meio clichê eu achei que ia gostar, eu queria gostar, porque gosto de gostar de nacionais e estava curiosa pela leitura há muito tempo. Não foi o esperado e nem fisgou e nem me prendeu. Infelizmente não funcionou. Para vocês terem noção, eu demorei uma semana com esse livro... e isso não acontece, nem que seja muito enorme.
    A protagonista era antipática, só vivia reclamando, sério, eu queria pular umas páginas de tanto que ela era enjoada. Quando pensava que ela ia se redimir fazendo algo legal ela peidava na farofa com as suas tiradas sem graça no intento de ser engraçada e cool.  Algumas situações no livro foram forçadas demais, algumas atitudes de certos personagens realmente me tiraram do sério. E a mãe da protagonista era muito sem noção, não sem noção legal, mas sem noção sem noção mesmo. Eu não curti a leitura e finalizei pensando que tinha perdido meu tempo. Aparentemente terá uma continuação que não vou conferir. Não me senti fisgada.
Nota: 2/5

Como Dizer Adeus em Robô

Com um toque melancólico, o livro conta a singular ligação entre Bea e Jonah. Eles ajudam um ao outro. E magoam um ao outro. Se rejeitam e se aproximam. Não é romance, exatamente mas é definitivamente amor. E significa mais para eles do que qualquer um dos dois consegue compreender... Uma amizade que vem de conversas comprometidas com a verdade, segredos partilhados, jogadas ousadas e telefonemas furtivos para o mesmo programa noturno de rádio, fértil em teorias de conspiração. Para todos que algum dia entraram no maravilhoso, traiçoeiro, ardente e significativo mundo de uma amizade verdadeira, do amor visceral, Como dizer adeus em robô vai ressoar profunda e duradouramente.
Comentários...
    Esse foi um dos livros que vi muito por aí, lia comentários legais e blogueiros curiosos pela leitura. Eu tinha visto até na lista da Gabi do blog Memórias de Leitura que essa obra era uma de suas metas. Eu me antecipei na leitura simplesmente porque não queria ler comentários sobre a obra até poder falar sobre ela também ahaha.
    O problema é que eu terminei o livro sem saber realmente o que dizer. Em alguns momentos a cumplicidade entre os personagens era tão linda e eu não queria manchar com o romance, parecia algo mais forte e intenso do que isso e eu estava de acordo porque a autora trabalhou bem esse sentimento inenarrável, mas ao final da leitura eu me dei conta de que não sabia o que dizer sobre ela. Terminou abruptamente e eu fiquei: Hã? Porquê?
Eu não sabia o que escrever na resenha para esse livro e ainda não sei o que dizer sobre ele além disso. Hã?
Nota: Indefinida até o momento!

A Caçada

Gene é diferente dos outros. Ele não tem a força e agilidade de seus colegas da escola, é imune à luz do sol e não sente uma sede insaciável por sangue. Gene é um "eper", um dos últimos humanos do planeta, e vive disfarçado no meio das pessoas normais. Ele usa presas falsas, raspa todos os pelos do corpo, faz o possível para esconder seu cheiro e jamais abandona sua máscara. Sabe que não deve chamar a atenção em um mundo em que um pequeno deslize pode ser fatal. Mesmo vivendo sozinho há anos, Gene ainda escuta as palavras de advertência de seu pai - Não faça amigos; não pegue no sono durante a aula; não pigarreie; não gabarite as provas, embora sejam um insulto à sua inteligência. Não durma na casa de colegas; não cantarole nem assobie. E ainda; Nunca esqueça quem você é. Ele leva sua vida de acordo com essas regras, determinado a sobreviver. Mas a frágil segurança de Gene é ameaçada por uma terrível surpresa; a Caçada Eper.Gene precisa escolher entre ser o caçador ou a caça. Não há escapatória - e qualquer erro significa a morte certa.
Comentários...
   Essa foi uma das minhas decepções fortes do ano. Comprei o livro no ano passado e fiquei fazendo a leitura, mas como é físico e eu sou a anormal que gosta mais de ler no leitor do que no físico – sou super paranoica, gosto de livros físicos, mas só para enfeitar a estante. Vocês precisam ver como leio meus exemplares: muito cuidadosamente. Quase nem abro direito ehehe – acabei atrasando a leitura e deixei de lado por vários meses. No início do ano decidi terminar as minhas leituras inconclusas.
   O livro em si é muito bom, foi só uma questão de opinião por eu gostar de determinado personagem, nada demais. A escrita do autor é muito ágil e fluida, viciante e você consegue sentir cada sensação de Gene de acordo com o que narra, as sensações de pavor, angústia e as loucuras frenéticas dos vampiros. Eu achei a ideia mitológica vampírica que ele trouxe bem diferente e interessante, apesar de eu realmente preferir os vampiros normais como em The Originals - não que Klaus seja normal ehehe, quer dizer, nenhum dos Originais é, na verdade.
Mas enfim, um personagem que eu AMEI desde o início, e já tinha uma certa desconfiança sobre certos segredos, não teve o fim que eu queria e isso me fez brochar, por consequência não vou continuar a trilogia. Eu sou daquelas que não tem problema em largar uma série ahaha.
Mas se tiverem oportunidade de ler, leiam. É bom sim.
Nota: 3/5 

Minha Vida Mora ao Lado

“Minha mãe nunca ficou sabendo de uma coisa, algo que ela reprovaria radicalmente: eu observava os Garrett. O tempo todo.”Os Garrett são tudo que os Reed não são. Barulhentos, caóticos e afetuosos. São de verdade. E, todos os dias, de seu cantinho no telhado, Samantha sonha ser uma deles, ser da família. Até que, numa noite de verão, Jase Garrett vai até lá e...Quanto mais os adolescentes se aproximam, mais real esse amor genuíno vai se tornando. Contudo, precisam aprender a lidar com as estranhezas e maravilhas do primeiro amor. A família de Jase acolhe Samantha, apesar dela ter que esconder o namorado da própria mãe. Até que algo terrível acontece, o mundo de Samantha desmorona e ela é repentinamente forçada a tomar uma decisão quase impossível, porém definitiva. A qual família recorrer? Ou, quem sabe, Sam já é madura o bastante para assumir suas próprias escolhas? Será que está pronta para abraçar a vida e encarar desafios?
Quem você estaria disposto a sacrificar pela coisa certa a se fazer? O que você estaria disposto a sacrificar pela verdade?
Comentários...
   Esse foi um livro que eu pensei: Hm. Eu vi muito barulho por causa dessa obra, muitos posts e as pessoas comentando e tals, mas não achei isso tudo. Até estava conversando com a Sil Casemiro sobre não ter sido o que esperávamos. Achei que o romance foi rápido demais no início, tentei relevar, mas ao final da decepcionante leitura eu fiquei com raiva e decidi que não aceitava não. Gostei dos Garrets, de verdade, foi a parte realmente boa do livro. Mas algumas situações na estória eu não conseguia conceber e nem me senti apegada com o livro em si.
   Demorei três dias com a leitura, o que é grande coisa porque ele nem é tão grande assim, e fiquei morrendo para acabar logo porque não suportava ler mais um dia. Eu não me senti fisgada e achei a leitura bem simples e sem muita coisa, não tinha uma reviravolta tipo: what the hell! Quer dizer, teve um acontecimento interessante que poderia ser bem mais trabalhado, mas que foi tratado superficialmente pela autora.
Eu não curti, não me senti fisgada. Não senti nada com a leitura e achei que não me acrescentou... aliás, só mais um livro na estante.
    Mas um personagem super legal foi o Tim, amigo da Sam é o ponto alto do livro para mim e thank God a autora fez um livro dele, ainda está em inglês, mas já vou começar a leitura, até porque minha professora da universidade já está me cobrando leituras em inglês, ela quer até que eu escreva livros em inglês. Eu chego lá, mas acredito que não por agora ahahah!
Nota: Indefinida até o momento.
É isso, people, essas são as leituras que fiquei com preguiça e que não sabia de verdade como começar a resenhar e por isso decidi só comentar mesmo....
Beijin...
Share with the world:

12 comentários:

  1. Oi, Alana!
    Gente, toda vez me acabo de rir quando leio a expressão "peidando na farofa" hahhahahahhah
    Achei interessante fazer uns reviews assim. Nem todo livro que leio, eu resenho.
    Originals <3 <3
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe do sorteio do livro Marianas

    ResponderExcluir
  2. Oi, Alana. Tudo bem?
    Acho legal essa ideia de só comentar, tenho um problema em fazer isso pois sempre acho que não consegui demonstrar, exatamente, o que achei do livro, mas é claro que é uma ótima alternativa para aqueles que terminamos sem entender o que aconteceu na verdade.
    Me interessei por A Caçada, mesmo você dizendo que te decepcionou. Gosto quando os autores criam seres diferentes ou inovam em características de seres que já existem, não como em Crepúsculo -nada contra, também-, mas de uma forma mais completa.
    Sobre Minha Vida Mora ao Lado, não consegui me interessar pelo livro, achei a sinopse bem sem graça, imagino mesmo os motivos de você não ter curtido.

    Um beijo!
    Crônica sem Eira

    ResponderExcluir
  3. As vezes ficamos loucas mesmo! HAHAH, te entendo, tenho vários livros parados aqui... Adorei a ideia de resenhar esses livros.
    Não tinha ouvido falar deles ainda...
    Beijos
    www.somosvisiveiseinfinitos.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oie Alana =)

    Eu tenho uma coluna parecida no blog, onde só faço alguns comentários do livro que li.
    Já tinha visto alguns livros que você comentou, mas nenhum deles me chamou a atenção.

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  5. Oi Alana,
    Eu cogitei ler A Caçada, achei a premissa bastante original, parece ter conseguido reinventar a mitologia dos vampiros. Mas eu tenho fugido de séries e só começo uma nova quando terminar alguma que estou lendo...
    Abraço,
    Alê
    www.alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Alana,

    não se sinta culpada! rs Entendo bem! às vezes devoro uma série inteira de livros em uma semana e fico louca depois tentando resenhar tudo logo! Adorei a ideia do post, por sinal! Pequenas resenhas também são o máximo! Uma pena que A Caçada não foi tudo o que esperava, sou louca para ler a obra! E sério que não tem problema em largar séries? Mesmo odiando tudo ou prevendo o final, eu gosto de ler até o fim, apesar de que confesso que algumas sagas me matam de preguiça...

    Beijos!
    Participe do Sorteio de Carnaval
    http://www.mademoisellelovesbooks.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi, oi Alana!
    Adorei a ideia, as vezes realmente não dá tempo de escrever e eu acabou não postando tantas resenhas quanto gostaria, essa seria uma boa maneira de administrar e organizar, adorei! Dos livros que você comentou eu ainda não li nenhum, mas gostei muito da premissa de minha vida mora ao lado mas graças a suas observações, já sei que não vou gostar hsuahsa
    Beijinhos

    Borboletas de Papel
    | Dossiê Cultural
    Conheça o projeto literário #12HistóriasBrasileiras e participe!

    ResponderExcluir
  8. Oi
    você tem que fazer o que é melhor mesmo, esses livros parecem ser interessantes, pena que a maioria te decepcionou, eu tenho Minha Vida Mora ao Lado e ainda vou ler espero gostar.

    momentocrivelli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Adorei a ideia de reviews mais curtinhas assim! Realmente tem livros que a gente lê que nem sabe direito como começar a comentar ou então foi um livro tão bleh que nem dá vontade de fazer a resenha... Ainda não li nenhum desses livros, embora estivesse bem mais animada para ler Minha Vida Mora ao Lado antes de ler o que você disse sobre haha Acho que ainda vou me arriscar nele, mas só mais para frente ;)

    Beijos!
    Lauren | http://blograzoesliterarias.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Oii Alana, tudo bom?
    Só porque eu estava querendo ler Boston Boys ao ler seus comentários sobre a história, broxei, haha. E Como Dizer Adeus em Robô está na minha lista a décadas, tipo acho que há uns três anos, mas ainda não tive a oportunidade de ler, infelizmente.
    Fiquei triste que você não vai continuar com a Trilogia de A Caçada, pois queria saber muito a sua opinião sobre o segundo livro da série (que eu amei *-*).
    E sinceramente eu amei Minha Vida Mora ao Lado pela forma como o Jase tratou toda a questão do que aconteceu no final, tipo, sem aquele drama. Achei que foi bem maduro da parte dele e foi, essencialmente isso que me encantou na história. E concordo com você, meio que me apaixonei pelo Tim e estava louca para saber um pouco mais sobre ele. Não sabia que havia um spin off sobre ele e olha minha felicidade quando li isso nesse post *-*
    Estante de uma Fangirl

    ResponderExcluir
  11. Olááá! Primeiro, adorei a ideia de seu post, ficou básico e trouxe sua mini resenha sobre todos! Devo admitir que não li nenhum desses livros, tinha curiosidade sobre Minha Vida Mora ao Lado mas ao ver que não é lá essas coisa me desencantei sabe.

    http://www.leitorasvorazes.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Também não gostei nada do final de A Caçada, falei disso na resenha que fiz pro meu blog. Achei bem corrido e mal trabalhado, esperava muito mais coisa na tal batalha.
    Já Como Dizer Adeus em Robô eu não li, mas sempre achei a historia muito fofinha, fiquei agora intrigada com o que você disse sobre o final...


    (Carol)
    Conhece o nosso blog? ourbravenewblog.weebly.com
    Estamos sempre retribuindo visitas e comentários de amigos blogueiros :)

    ResponderExcluir

 
Designed by Beautifully Chaotic