2 de fev de 2016

Resenha Filme: A 5° Onda

     Helloo, people...
Tudo numa nice!? Hoje eu venho trazer uma resenha super atrasada do filme A 5º Onda que assisti na segunda feira da semana passada, era para eu trazer no domingo, mas fiquei com preguiça e não escrevi nada só corrigindo meu livro. Enfim, vamos conversar sobre essa adaptação agora.
É meio redundante colocar um pouco da estória aqui, então vou ser bem breve para logo em seguida fazer os meus comentários.
   A Terra sofreu repentinos ataques alienígenas. Primeiro tudo fica na escuridão, um pulso eletromagnético retira a eletricidade do planeta. Na segunda onda, um tsunami gigantesco extermina boa parte da população, só sobreviveu quem teve sorte. Na terceira onda, os pássaros passam a transmitir um vírus que mata noventa e sete por cento da população que restou dos outros ataques e os que não tiveram sorte sobreviveram.   Após a quarta onda vem  perigo, ninguém pode confiar em ninguém. A quinta onda está vindo...
   Cassie está sozinha na floresta, fugindo dos Outros para poder sobreviver.  Qualquer pessoa pode ser o inimigo e ela sabe disso.  Os outros estão fazendo de tudo para desestruturar a raça humana. Cassie imagina que precisa viver sozinha em meio as estradas e correr para salvar seu irmão, mas no meio do caminho ela encontra Evan Walker. Cassie precisa decidir se deve confiar e ter esperança!


    Primeiro de tudo quero dizer que sinto muito por aqueles que não gostaram do filme A 5º Onda por motivos de: não mostrar a grandiosidade do livro e blá blá blá. O filme se tornou mais um YA distópico na cota desse gênero nos cinemas e esses argumentos que o povo está usando. Enfim, isso é bem verdade, o filme é direcionado a esse público, porém não deixa de ser um bom entretenimento. Hoje em dia depois de Jogos Vorazes, Divergente e outras distopias por aí, todo mundo agora quer dizer que é cópia desses. E isso é parcialmente verdade, os autores não estão inventando muita coisa nova, mas dizer que esses livros e filmes são os precursores do gênero é bem errado e por causa disso julgar outras adaptações.

    Não estou dizendo que apoio a cópia parcial ou completa, na verdade eu detesto isso, prefiro originalidade, mas o livro do Ricky traz algo diferente a invasão dos aliens à Terra, apesar da leve imitação dos Outros invadirem o corpo dos humanos que nem na Hospedeira – filme que também assisti. É bem verdade que hoje há mistura de tudo. Posso afirmar que o autor pretendeu inovar e hoje nem tudo é original mais.


    Eu só li o início da obra do autor e estava com dificuldade para engatar na leitura por motivos de que achei a escrita estranha e ia e vinha, mudava de assunto. Poderia ser a minha leseira do momento, mas foi a segunda vez que tentei começar a obra para simplesmente ter um background antes de ver ao filme, mas o livro se tornou cansativo e acabei não lendo por completo. Mas vamos combinar que várias adaptações não são fieis ao livro. Mas eu pergunto: Você quer assistir algo que já viu ou uma novidade? Sei bem que esse é um ponto delicado para leitores porque no geral não se conformam com a não fidelidade da obra. Eu não vejo isso como uma coisa ruim, sobretudo que são gêneros diferentes. Filme é filme. Livro é livro.
Nem tudo pode ser adaptado de forma coerente e ás vezes o estúdio não quer deixar tudo igual. Eu não ligo muito para isso, sempre separo as coisas na verdade. Eu gosto de me surpreender, essa é a verdade.  

    Mas então, Alana, assisto ou não?  
   Fui semana passada assistir ao filme e gostei bastante, curti as surpresas e reviravoltas que foram mostradas. Como li só uma quarenta a trinta páginas do livro, consegui ver o início de Cassie na adaptação. Só não sei do resto porque não terminei.

    Confesso que tive alguns problemas com algumas atuações que deixaram a desejar, sou bem exigente com isso e percebo tudo, mas... Teve umas atuações que eu vi: hum? Sério? Vamos melhorar, né. Teve outras que eu pensei: Bom... E teve outras que eu simplesmente entortei o nariz e baixei a cabeça. Tipo, fala sério, né!? Acho que quem acompanha as minhas resenhas de série ou filmes já deu para perceber que sou bem exigente quanto a atuação, e realmente sou.Tem umas que me dá nos nervos e eu não consigo acreditar em nada que o ator está “representando”. Tem que ser natural para mim e bem convincente.


    Teve outras tiradas clichês que eu fiquei, tipo: hum não cola mais, cara! Mas no geral é um bom filme, um bom entretenimento para passar o tempo. Os efeitos especiais são legais e em alguns momentos eu sorri que nem o gato de Alice no País das Maravilhas, aquele gato de sorriso estranho e malvado eheehhe. Tipo, eu não esperava que fosse aquilo!  
Com certeza vou ler o livro posteriormente, não sei quando está bem lá no final da fila, mas a adaptação é realmente boa. Achei interessante algumas coisas e quero ver como o autor trabalhou no livro, que com certeza deve estar mais explicado.

    O romance é um triângulo, é claro, mas esse foi um tanto diferente. Além de ser um pouco estranho e mostrar uma stalkeagem level 2 – que me fez pensar: Hã?! Pela primeira vez em muito tempo eu pendi para os dois lados, em alguns momento eu defendia o Evan e em outros o Ben. Teve gente que ficou reclamando porque a Chloe Grace atuou em vários filmes fantásticos e depois decaiu para esse. Eu acho que o filme entrega o certo para o gênero e para seu público e ela atuou bem como sempre. Eu gosto demais dessa atriz! *-* Foi um dos motivos para querer ver a adaptação. O pai de Cassie aparece bem pouco e a mãe muito menos, então não consegui sentir empatia pelo que aconteceu em decorrência disso.

     Apesar de várias coisas que eu disse sobre coisas manjadas e clichês, eu gostei bem muito do filme e assistiria de novo. *-*  

    Acho que uma coisa precisa ser dividida e frisada: filme é filme. Livro é livro. Já assisti filmes que tinha uma grande diferença do livro e não me importei porque há uma distinção dos dois gêneros postos aqui. Afinal, você quer assistir algo que já viu na mente ou quer algo que te surpreenda?! Para quem não leu ao livro eu indico o filme ou se leu e tem a mente aberta como a minha eu indico. Assistam!

 Vou deixar aqui o trailer para vocês conferirem:


Share with the world:

9 comentários:

  1. Oi, Alana!
    Ainda não vi o filme, mas devo dizer que amei sua resenha!
    Hoje em dia, tudo é cópia de tudo. Vide A Rainha Vermelha que entrou no primeiro lugar de cópias das cópias.
    Eu amo a Chloe e pouco me importa os tipos de filmes que ela faça. Sempre a acharei uma ótima atriz.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  2. Meus pais e meu irmão já assistiram e acharam bem legal. Estou louca para assistir também :D

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  3. Oi Alana, tudo bem?
    Olha, quando eu vou para o cinema assistir alguma adaptação, nem tento comparar com o livro! Já perdi a conta das vezes que fiz isso e sai decepcionada com um filme que poderia ter sido bom, se eu tivesse deixado o livro de lado...
    Mas esse é um filme que não teria problema, já que eu não li o livro. Não sabia que existia até ver o trailer do filme e não sei se é o tipo de estória que me prenderia... Ainda mais depois de ler você falando que não te prendeu!
    Quanto ao filme estou doida para assistir, espero que eu goste :)
    Beijinhos

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  4. Oi, Alana! Tudo de boas aqui, e você?
    Eu tava bem ansiosa pra essa adaptação, mas acabei me perdendo um pouco do livro e só quero ver depois que terminar de ler. Com concordo com você, povo sempre reclama muito e hoje ninguém pode tentar ser original sem ser chamado de copia e bla bla bla, principalmente com distopias! Parece que não podem mais ter semelhanças entre livros que são do mesmo gênero hahaha
    Enfi, amei sua resenha e estou aflita para terminar minha leitura e correr pro cinema <3
    Beijinhos ;P

    Borboletas de Papel
    | Dossiê Cultural
    Conheça o projeto literário #12HistóriasBrasileiras e participe!

    ResponderExcluir
  5. Hey Alana, como vai?
    Olha, já li A Quinta Onda e já li também o segundo livro (e pelo amor, acabei de lembrar que preciso resenhá-lo antes que eu esqueça tudo, porque sou dessas). E eu também gostei bastante do livro, adoro dar umas viajadas de vez em quando então pra mim foi ótimo, tanto que corri pra me atualizar do que foi lançado agora. Quanto ao filme, eu também fui assistir, não é uma grandiosidade mas também não é esse bicho que andam pintando por aí, concordo com você. Achei um bom entretenimento, com suas genialidades e defeitos. Normal. Recomendo muito a leitura da saga, e gostei bastante do segundo também.
    Beijos

    EuVocê&oslivros

    ResponderExcluir
  6. Olá, Alana.
    Hoje em dia o que é original. Vai me dizer que os romances de época tem alguma diferença entre eles? E os livros policiais? A ideia e os elementos são todos os mesmos. Mas quem gosta do gênero, vai gostar e estar procurando exatamente aquilo ali. Eu já sei o que esperar de uma distopia, e não espero que tenha muita coisa original não. Se tiver beleza, se não legal também. Eu ainda não li o livro, mas pretendo ver o filme.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  7. Oi, Alana!
    Eu também tinha começado a ler o livro e abandonei logo no inicio, mas mesmo assim também decidi assistir o filme pra vê o que ia ser, pois eu tinha gostado do trailer e eu adoro os filmes com a Chloe. Eu amei o filme, logo quando terminei de assistir tive vontade de assistir outra vez. Foi por causa do filme que decidi dar outra chance ao livro e eu me surpreendi, pois eu passei a gostar do livro.

    ResponderExcluir
  8. Assistir o filme, acho que as decepções faz parte! não posso falar em que sena me decepcionei por causa do spoiler haha
    http://blogmichaelvasconcelos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oi Alana,

    Eu quero ver esse filme, mas quem comenta sobre cinema no meu site viu e não gostou de jeito nenhum. Pelo que eu ano lendo tá bem dividido entre quem gostou e achou ruim. Espero que eu também goste.

    Bjs, @dnisin
    www.sejacult.com.br

    ResponderExcluir

 
Designed by Beautifully Chaotic