3 de set de 2015

Resenha: Willow - Julia Hoban

SINOPSE: Willow - Sete meses atrás, em uma noite chuvosa de março, os pais de Willow acabaram bebendo muito durante o jantar e pediram a ela que guiasse o carro até em casa. Por uma fatalidade, Willow perdeu o controle do veículo e seus pais morreram no acidente. Consumida pela culpa, Willow deixa para trás sua casa, amigos e escola e, enquanto tenta retomar a relação de afeto e companheirismo com o irmão mais velho, secretamente bloqueia a dor da perda cortando a si mesma. Mas quando Willow encontra Guy, um rapaz tão sensível e complexo quanto ela, mudanças intensas começam a acontecer, virando seu mundo de cabeça para baixo. Contado de modo cativante e doce, Willow é um romance inesquecível sobre a luta de uma jovem para lidar com a tragédia familiar e com o medo de se deixar viver uma linda história de amor e cumplicidade.
      Hello, gentee!
  Acho que vocês esperavam uma resenha de livros visto que só tenho feito de filmes e séries nos últimos dias. Pois é. A resenha que trago hoje é sobre um livro que li no início do ano e que prometi há um bom tempo colocar aqui. Na verdade eu já tinha escrito, mas fiquei protelando e hoje decidi quitar a minha dívida.
      Bom, eu me interessei por esse livro no início do ano, na minha fase prolongada de querer ler livros tristes e que me fizessem chorar muito. No entanto Willow não me fez chorar, senti um monte de emoções conflitantes, agonia e medo foram uma delas. Então vamos descobrir o porque de todas essas sensações.
     Willow perdeu os pais num acidente de carro, o qual ela estava dirigindo. Por causa desse episódio catastrófico ela sucumbiu a culpa intensa e se martiriza todos os dias. Willow tenta esquecer o que aconteceu para não sentir toda a dor que vem guardando; ela encontrou uma forma de entorpecer essa sensação. Ela se corta com gilete.
     Mesmo no verão ela veste blusas de mangas compridas para esconder os cortes. Ela vive na casa do irmão, porém não existe uma boa convivência entre eles por causa do acidente. Willow acredita que ele a culpa e tem medo de confrontá-lo. Para tentar melhorar a situação e não dar tanto trabalho para o irmão ela decide trabalhar na biblioteca da faculdade. E é ali que ela encontra Guy. As coisas irão mudar drasticamente e Willow precisa escolher entre se cortar e viver!
* ATENÇÃO! Dessa parte para baixo farei alguns comentários de algumas cenas do livro que me chamaram muito a atenção e como não participo de um clube de livros, preciso escrever tudo aqui. Pode conter spoilers então leia por sua própria conta!
       No incidente que Guy descobre as giletes dela eu pirei geral! Porque queria que ele tomasse tudo e contasse para alguém. Mas tudo entre eles muda drasticamente porque Willow vai esquecer das giletes por um tempo, pois está passando mais tempo com Guy do que sozinha. Ele faz de tudo para procurá-la com o fim de entretê-la e evitar que ela se corte, para protegê-la. Na boa, toda vez que ela se cortava eu sentia dor, me contorcia com a descrição devastadora, estou sentindo agonia agora mesmo enquanto escrevo isso. Em alguns momentos eu quis pular esses parágrafos agoniantes.
    Eu entendia o que ela fazia e o porquê, mas simplesmente não aceitava e não entendia sua lógica. Era complicado demais e conflitante.
     Willow mostra suas feridas a Guy e num certo capítulo ele a vê se cortar. Foi algo muito estranho, e ainda assim, muito íntimo. Só digo uma coisa. Guy é espetacular. The saviour of her. Ela precisa escolher entre Guy e as lâminas no final!
OMG! Enfim, desabafei! Uh.
Nota: 5/5 – Favorito
       Obs.: Vocês devem ter percebido que escrevi saviour no final, em vez de savior. Alguém que conhece um pouco de inglês pode pensar: Olha só, quer dar uma de sabidona e escreve a palavra de forma errada. Bem. Só um head's up! Ambos estão corretos, mas eu prefiro sempre usar a versão britânica. Eheeh. Coração inglês! Brincadeira. Na verdade gosto mais de usar o sotaque britânico e redigir usando o inglês da Austrália e Inglaterra!
Era só isso, people! E aí, o que acharam do livro?! Quem já leu? Comentem!

12 comentários:

  1. Oi Alana!
    Não conhecia o livro e a capa dele me enganou: não sei porque, mas achei que fosse uma fantasia.
    Não despertou o meu interesse, mas parece ter sido uma ótima leitura para você, né?
    Beijos,
    alemdacontracapa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mariana! Considerei uma leitura muito boa e um pouco torturante, mas gostei de verdade!
      *-*

      Excluir
  2. Oi, Alana! Tudo bem? Olha, infelizmente eu não tenho muito interesse em ler esse livro. Já li umas resenhas bem negativas para ele, sabe? Mas enfim, fico feliz que você tenha curtido a obra! :) Adorei a resenha!

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/2015/08/resenha-premiada-johnny-bleas-um-novo.html <- Tá rolando promoção do livro "Johnny Bleas - Um Novo Mundo" lá no blog! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lucas! Eu li também muitas resenhas negativas, mas parece que tenho tendência a gostar mais dos livros que as pessoas reprimem e não gostam. Que bom que gostou da resenha!! *-*

      Excluir
  3. Oie Alana =)

    Vi a cada desse livro em alguns blogs, mas a sua é a primeira resenha que leio dele. Pela premissa a história pareceu possuir uma carga dramática bem forte, o que no momento não é muito o que busco em minhas leituras.

    Parece ser um livro interessante embora um pouco pesado. Quem sabe mais para frente eu acabe dando uma chance para ele.

    Ótima resenha!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ane! Ele tem uma carga dramática bem forte mesmo. Estive numa época em queria muito ler esse tipo de obra. Dá sim uma chance mais para frente!!

      Excluir
  4. Olá,
    Já tinha visto certos comentários sobre o livro, mas nunca cheguei a me interessar de fato pela obra, mas gostei da sua resenha, me deixou relativamente curiosa.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helloo, Gabriela. Que bom que gostou da resenha e que ficou curiosa!
      Fico feliz! *-*

      Excluir
  5. Oi Alana,
    Gostei da premissa do livro, sua resenha está ótima.
    Beijão - Tão doce e tão amarga.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Helloo, Thamiris! Que bom que gostou! Eu amei esse livro!

      Excluir
  6. Oi, Alana! Esse livro não é muito conhecido e aposto que ninguém dá muito pelas capas dele, nem pelo título. Mas esse é um dos meus livros favoritos! Fiz uma resenha no blog dele também e foi só elogios... E apesar de fazer tempo que li, a principal característica que me lembro deste livro é a narração. É como eu até disse na minha resenha, o livro ter sido escrito em terceira pessoa faz da narração seca e torturante. A maioria das cenas eram muito íntimas e doía ler alguma delas, principalmente quando Willow resolvia se cortar. E Guy é um dos meus personagens preferidos da vidaaaaa!! Muito amor por ele, que é um querido e sensível. Os personagens são tão bem trabalhados, né? Não sei você, mas eu sentia a dor da Willow. Era angustiante, queria fechar os olhos ou entrar no livro e tirar as lâminas das mãos dela! Esse livro é muito bom, e ler sua resenha foi ótimo pra relembrar esse carinho que tenho com ele!

    Beijos
    http://tempestade-de-estrelas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Bia. O livro não é muito conhecido mesmo e isso me chateia.
      Concordo que doía ler algumas cenas. Eu ficava estupefata e agoniada quando a Willow se cortava. Eu sentia a dor dela tbm! E eu amo o Guy. Queria que ele fosse real!!! *-*

      Excluir

Alana Gabriela - créditos

Tema Base por Butlariz