Resenha: Tartarugas até Lá Embaixo - John Green

14.1.18
Tartarugas Até Lá Embaixo | Autor: John Green | Ano: 2017 
Páginas: 256 | Editora: Intrínseca | Lido em: Janeiro de 2018
A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses.
Quando Daisy - uma garota aficionada em Star Wars e que escreva um monte de fan-fics relacionadas ao tema - convence Aza Holmes a ir em busca de um bilionário que sumiu de repente, com a perspectiva de uma recompensa de 100.000 dólares, ela decide que é uma "boa ideia" se arriscar e embarca nessa aventura com a amiga. Tendo que lidar com o TOC todos os dias, Aza tem que tentar conciliar sua crescente afeição por Pickett e sua vontade de ficar boa.
O verdadeiro terror não é ter medo, é não ter escolha senão senti-lo.
    Bem, fiz uma explanação muito fubá da estória I'm sorry, mas acho que não é necessário falar muita coisa porque não acontece quase nada no livro. Mesmo com a premissa que na sinopse me soou instigante com pinta de algum tipo de aventura misturado a romance. Mas é isso mesmo. Não acontece nada. A obra não é exatamente sobre a busca de Aza por um bilionário em busca de dinheiro, não é sobre romance. É sobre TOC e como a protagonista lida com o problema ao longo do livro.
       Eu acho que não aprendo nunca. Não sei por que, já li vários livros do autor, não gostei de quase nenhum, mas ainda assim li esse livro novo dele. Acho que queria ver o que ele tinha aprontado nessa nova obra, sobretudo por que li várias resenhas positivas sobre ela e muito mais elogiosas do que para livros como ACEDE.
       Como dá para perceber, não gostei suficientemente da obra. Não sei se porque tinha expectativas ou coisas do tipo, mas acontece que achei o livro muito fraco, simplista apesar de realmente ter alguns pontos positivos, sobretudo por causa da abordagem do TOC e do final que foi crível. Ao fazer a leitura lembrei e percebei que não gosto da escrita do John Green, e acho muito fraca e nesse livro achei muito simplista, na verdade. As partes que deveriam carregar uma profundidade maior - um tipo de filosofia ou sei lá - não foram muito aprofundadas de modo que não causou comoção alguma em mim.
Eu sabia que era um ser desprezível. Sabia. Sabia e não via dúvida. Eu não estava possuída por um demônio. Eu era o demônio.
            O romance que ocorre ao longo do livro também não me convenceu, pareceu muito rápido e sem química alguma. Soou como se eles estivessem ali para um tipo de romance e pronto. Apenas tinha que acontecer.

          A única parte bem trabalhada no livro e que em alguns momentos me deu “agonia” e me fez reconhecer como algo que realmente acontece, pois já vivenciei algo parecido, foi como o TOC é retratado na estória. Aza passa por maus bocados e tem que conviver com os temores de sua mente conturbada que não para de forçá-la a tudo.
       Talvez esse seja o ponto alto do livro. Como falei acima ao fim você chega a conclusão que o enfoque é esse.
O problema dos finais felizes é que ou não são realmente felizes ou não são realmente finais, sabe?
    Enfim, eu não achei o livro isso tudo que estão falando e nem acho que seja o melhor dele. Nem foi tão comovente quanto ACEDE. Um ponto que preciso ressaltar: a Daisy é uma amiga péssima. Não entendi porque e como elas se tornaram amigas. Talvez o John quisesse apenas mostrar que uma garota metida a nerd poderia ser amiga de uma garota reclusa presa em sua cabeça quanto Aza. Não funcionou.
   No geral não foi uma leitura satisfatória para mim, mas quem adora o autor certamente vai gostar dessa obra.
NOTA: 2,5/5
Por hoje é só, folks.
XO XO

8 comentários:

  1. Oi, Alana!
    Acho que a sua foi a primeira resenha negativa que vi desse livro.
    Eu desisti de ler livros do João Verde. Já passei dessa fase na vida e pretendo não voltar hahhahahah
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talvez eu seja do contra ou chata mesmo ahahaha. Nunca gosto do que todo mundo gosta. Esse foi meu último livro do João Verde. Não leio mais nada dele. Aprendi a lição ehehe.
      Beijin...

      Excluir
  2. Oi Alana. Bate aqui amiga porque eu também não curto as obras do autor haha Já li três livros dele e sempre vejo a mesma conclusão: 10% história e 90% filosofia barata e chata. Pra mim os livros do Green perderam o meu apreço a muito tempo, e não tenho vontade de ler outra obra dele.
    Beijos
    http://www.suddenlythings.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu li quatro com esse já, mas acho que não tinha aprendido a lição. Precisei tomar um novo baque. Concordo que ele tem essa mania de inserir umas filosofias baratas que não fazem nada e não tem o efeito esperado. Essa foi a última para mim.
      Beijin... :)

      Excluir
  3. Eu tenho muito medo de ler quando o assunto é Green.
    Todo mundo elogia muito e o único livro que li dele eu não gostei tanto assim. Então fico com certo receio de ler.
    Mas, lendo, acredito que teria uma opinião parecida com a sua. Não é tudo que me desce não e as pessoas estão acostumadas a gostar muito dele, mas comigo o negócio é diferente rs

    Abraços,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá, Alana.
    Eu já desisti do autor faz tampo. Mas demorei, li 4 livros dele, dois solos e dois em parceria, para não dizer que era má vontade minha. Mas infelizmente não consegui gostar de nenhum deles. Nem de ACEDE eu gostei. Mas vejo o povo elogiando muito esse livro. Gosto é gosto e cada um tem o seu hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  5. O meu mais recente post também foi a resenha desse livro e o interessante é que temos mais ou menos a mesma opinião, foi uma leitura muito frustrante, assino por baixo algumas coisas que você escreveu.

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  6. Oie Alana =)

    A sua é a primeira resenha negativa que leio desse livro rs... Confesso que depois de ACEDE eu não quis ler mais nada do John Green. Não por que não gostei do livro, na verdade eu amei. Porém, depois dele nenhuma outra obra do autor me chamou a atenção.

    Uma pena que a leitura não tenha se mostrado tão satisfatória para você. Boa sorte com sua próxima leitura!

    Beijos;***
    Ane Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir